Archive for 17 de janeiro de 2011

Reflexão:O valioso tempo dos maduros

Mário Pinto de Andrade (*)

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
‘As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos’.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa…
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!

(*) Escritor e político angolano, de nome completo Mário Coelho Pinto de Andrade.
(1928-1990)

Artigo: Segundo mandato de Cid

Professor Teodoro

Deputado estadual

Desde a instituição da reeleição no Brasil, o segundo mandato dos gestores costuma ser menos produtivo que o primeiro. Raras exceções fogem a esse paradigma. O governo Cid Gomes, temos certeza, promete ser ainda melhor que o primeiro. É o que podemos concluir do seu discurso de posse durante solenidade realizada na Assembleia Legislativa no primeiro dia deste ano.

A certeza de que o Ceará terá melhor desenvolvimento não se respalda apenas no discurso, mas no histórico do gestor. Foi assim em Sobral, quando prefeito reeleito por larga maioria. A cidade avançou ainda mais no segundo mandato. O planejamento, com metas bem definidas e acompanhamento de sua execução, responde pelo sucesso de sua gestão. Nisso, é um exemplo para o Brasil, que se ressente de planejamento macro para o desenvolvimento de nossa nação.

Assim, seu segundo mandato que se inicia, não será marcado apenas pela continuidade, mas também pela inovação, com um foco desenvolvimentista.  Mas o modelo de desenvolvimento prometido pelo governador Cid Gomes ao Ceará não é aquele que adia a partilha de seus benefícios para a população. Não há como falar em crescimento sem inclusão social, com um grande contingente de pessoas em condições de extrema pobreza. Crescimento, nestas circunstâncias, seria injustiça social.

E uma das principais formas de inclusão permanente, fora do assistencialismo, é o investimento na educação. Por isso, das mais alvissareiras a compreensão do governador de que a educação básica e profissional, os serviços de saúde e a segurança cidadã passarão a ser, ao mesmo tempo, pré-condições e resultados do desenvolvimento. Em suas próprias palavras, “investir no social, apostar na distribuição de renda é a mais sábia política desenvolvimentista”. 

Não basta produzir riquezas, é preciso distribuí-las. E isso tem acontecido nos últimos anos no Brasil e, ainda mais, no Ceará. O crescimento do PIB cearense – soma de todas as riquezas do estado – saltou de R$ 46 bilhões para R$ 73 bilhões. No mesmo período, o Ceará registrou recordes de geração de emprego, com criação de quase 90 mil postos de trabalho nos últimos 12 meses.

Ao mesmo tempo, as condições de evolução da sociedade foram sendo consolidadas através da queda das taxas de analfabetismo e o crescimento da taxa de escolarização do ensino médio. Os dados foram mensurados pelo Ideb, que aponta o desempenho do Ceará como o melhor do Nordeste. O responsável por isso pode ter sido um programa que se originou em Sobral e ganhou dimensões estaduais: o Paic – Programa de Alfabetização na Idade Certa.

Ao lado desse programa, que combate o analfabetismo escolar, o governo se esmerou na construção de escolas de tempo integral, que já somam mais de 100, para oferecer dois turnos aos alunos. Um destinado ao ensino tradicional e curricular e outro para o aprendizado profissional.  Com isso, vários objetivos são atingidos. O adolescente passa mais tempo na escola, aprende uma profissão e melhora o nível de aprendizado.

Na área do ensino superior, foi cumprido o compromisso de elevar o salário dos professores em 100% assim como foi incrementado na mesma proporção o orçamento das universidades estaduais. Ainda nesta semana, participei de uma solenidade em que foram distribuídos 300 computadores para nossas universidades. A melhor proporção aluno/computador é da Universidade Estadual Vale do Acaraú. Na UVA é de uma máquina para cada 20 alunos. Na Uece é de 1/26 e na Urca de 1/25. A meta do governo: Em breve, esta proporção deve ser de 1 para 10.  

Ressalte-se ainda o Ronda do Quarteirão, que inaugurou o conceito de polícia comunitária e cidadã. Como tudo o que é novo, causou polêmica e foi muito cobrado. A população acatou o projeto, que se transformou em modelo. É claro que os resultados não aparecem de uma hora para outra, mesmo porque implica mudança de mentalidade.

É bom ver que os resultados obtidos em Sobral, que serviu de laboratório e vitrine de uma administração moderna, estão se repetindo em nosso estado. Além disso, muitos são os projetos em andamento que trarão grande impacto, como o metrô, a siderúrgica, a refinaria, a transposição do Rio São Francisco e a Transnordestina.

É vasto o rol de realizações deste governo, que ainda tem muito que fazer. Não podemos deixar de reconhecer que muitas destas ações de grande envergadura, como eixão das águas e demais obras estruturantes dão seguimento ao que os governos do PSDB implementaram no Ceará, a partir do Governo das Mudanças, do qual também participaram os atuais responsáveis pelas políticas públicas do Estado.

Comemorado o Dia do Ceará

Uma série de atividades marca nesta segunda-feira, 17 de janeiro, o Dia do Ceará. Da programação cultural constam shows, concertos, apresentação de corais e maracatus, exposições, palestras e feira de artesanato. A abertura oficial aconteceu às 8h, na Praça das Flores em Aquiraz, primeira capital do Estado. Depois houve visita guiada ao Museu Sacro São José de Ribamar e abertura da exposição “Caminhos da Serigrafia”, do artista plástico Zé Tarcísio, no anexo do Museu.  Em Fortaleza, às 18h, a Camerata Eleazar de Carvalho se apresenta no Theatro José de Alencar.

O Dia do Ceará foi instituído por meio da Lei 13.470, de 18 de maio de 2004. O projeto de Lei do Governo do Estado, na gestão Lúcio Alcântara, propôs a data por ter sido em 17 de janeiro de 1799 que a Capitania do Ceará se emancipou da Capitania de Pernambuco.  A autonomia foi garantida por Carta Régia assinada pela Imperatriz de Portugal, D. Maria I.

Veja a programação completa no site www.secult.ce.gov.br

janeiro 2011
S T Q Q S S D
    fev »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31