Archive for 16 de outubro de 2011

Começa o horário de verão em três regiões e na Bahia

Horário de Verão tem inicio no dia 16 de outubro e vai até 26 de fevereiro de 2012. Foto - Divulgação

Começou no domingo (16) o horário de verão nos estados das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e também na Bahia. A população tem de adiantar o relógio em uma hora e a mudança segue até 26 de fevereiro de 2012.

Segundo o governo federal, o período do horário de verão será o mais longo desde 1985 e terá 133 dias de duração. O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê uma economia para o Brasil que pode variar entre R$ 75 milhões e R$ 100 milhões durante o período. No período, a ONS prevê a diminuição da demanda em 4,6%, ou o equivalente a 2.650 megawatts (MW).

Com os dias mais longos, o objetivo é reduzir o consumo de energia e aproveitar mais a luz do sol durante o verão. A decisão de utilizar o horário é de cada estado e neste ano a Bahia resolveu aderir. A inclusão do estado era reivindicada por empresários. Eles queriam sincronia com o expediente bancário, horário de funcionamento de escritórios e sede de empresas do Sul e do Sudeste.

 Período
            Desde 2008, com a edição de um decreto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o horário de verão se inicia no terceiro domingo de outubro e vai até o terceiro domingo de fevereiro.

          Quando houver coincidência entre o domingo de Carnaval e o término da medida, o encerramento se dará no domingo seguinte. É o caso de 2012, quando o Carnaval será comemorado entre os dias 18 e 21 de fevereiro. O objetivo do horário de verão é aproveitar os dias mais longos do verão, com mais tempo de luz solar, para economizar energia

Polícia Civil volta a entrar em greve no Ceará

 

A categoria decidiu retomar a paralisação por considerar que não houve avanço nas negociações com o governo do Estado. Foto - Kiko Silva/DN

Desde as 8 h de sábado 15 a greve dos policiais civis do Ceará foi reativada e somente 30% do efetivo está trabalhando. Apenas quatro delegacias funcionaram, no sábado, em Fortaleza, o 5º DP (Parangaba), 12º DP (Conjunto Ceará), Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), no Centro; e a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), no bairro Olavo Bilac. Na Região Metropolitana de Fortaleza esteve de plantão somente a Delegacia de Caucaia.

A decisão pela retomada do movimento aconteceu na noite de sexta-feira 14. A categoria alega que esteve reunida no dia anterior com representantes do governo em busca de atendimento às reivindicações da classe, mas estes teriam informado que as negociações estavam encerradas.

A principal reivindicação dos policiais civis continua sendo o aumento de vencimentos. As pautas referentes às promoções e horas extras não foram consideradas.

Desta vez, a greve foi decidida por unanimidade dos profissionais presentes à assembleia, e, segundo eles, só acabará quando houver garantias concretas de que os pedidos da categoria serão atendidos. A greve dos policiais já havia sido considerada ilegal pela Justiça.

A decisão foi tomada no dia 5 de julho pelo juiz Paulo de Tarso Nogueira Pires, da 6ª Vara da Fazenda Pública. O Sindicato, através de sua assessoria jurídica, ingressou com recurso na Justiça para que a decisão do juiz fosse reformada.

Dia do Professor é marcado por protesto em Fortaleza

Professores se reuniram no sábado 15 na Praia de Iracema, em Fortaleza. Foto- TV Verdes Mares/Reprodução

Oito dias após a suspensão da greve, os professores da rede estadual de ensino do Ceará realizaram na tarde de sábado (15) uma caminhada de protesto reivindicando reajuste salarial da categoria. Os professores se concentraram na Praia de Iracema, orla marítima de Fortaleza, e iniciaram uma caminhada às 16h e panfletaram pedindo adesão da população em prol das reinvindicações da categoria.

“Nosso protesto é para mostrar que o Dia do Professor é todos os dias e que vamos lutar por um plano de cargos, salários e carreiras digno que contemple a categoria”, disse o presidente do sindicato dos professores da rede estadual de ensino, Anízio Melo.

No evento, os professores do estado também contaram com apoio de professores da rede municipal de Fortaleza e movimentos sindicais.

Os professores exigem repercussão do aumento aprovado para profissionais com ensino médio, que tiveram elevação de R$ 810 para R$ 1.188. O aumento foi aprovado para que o Governo do Estado deixasse de descumprir a Lei Nacional do Piso, que exige que professores tenham um salário mínimo de R$ 1.180 em todo o Brasil.

Os professores reclamam que o aumento proporcional não foi repassado aos demais servidores com curso superior ou pós-graduação, conforme exige a lei. A secretária de Educação do Estado, Izolda Cela, argumenta que o reajuste reivindicado pelos sindicalistas está acima do que o Estado pode financiar.

A greve foi suspensa em 7 de outubro para retornar às negociações com Governo, diz o sindicato. Para o presidente Anízio Melo, houve avanço nas negoiações após a suspensão com a criação de uma comissão que vai acompanhar as negociações entre sindicato e Estado. A comissão é formada por membros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ministério Público do Ceará, e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Fonte:  G1 CE

 

outubro 2011
S T Q Q S S D
« set   nov »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31