Archive for 27 de fevereiro de 2013

IFCE oferta 970 vagas para cursos técnicos

 

Campus do IFCE, em Sobral. Foto - Divulgação

O Instituto Federal do Ceará (IFCE) oferece 970 vagas para 29 cursos técnicos gratuitos distribuídos em dez campi da instituição. Para os cursos do campus de Fortaleza, as inscrições para participação no exame de seleção seguem até 8 de março. Para os campi de Acaraú, Camocim, Crateús, Maracanaú, Sobral, Tauá, Tianguá, Ubajara e Quixadá, as inscrições vão de 4 a 15 de março.

Há previsão de vagas para as cotas sociais, em atendimento à Lei Federal nº 12.711/2012 (lei de cotas). Os editais serão disponibilizados nesta semana no endereço eletrônico: http://qselecao.ifce.edu.br. no portal do IFCE. Confira abaixo a lista de cursos, com os turnos e a quantidade de vagas ofertadas.

Acaraú – Pesca: 35 vagas (manhã), Serviços de Restaurante e Bar: 35 vagas (manhã), Aquicultura: 35 vagas (noite), Construção Naval: 35 vagas (noite); Camocim – Serviços de Restaurante e Bar: 30 vagas (manhã); Crateú –  Edificações: 30 vagas (manhã), Agropecuária: 35 vagas (manhã); Fortaleza-  Edificações: 25 (noite),Eletrotécnica: 30 (noite),Instrumento Musical: 25 (manhã), Manutenção Automotiva: 30 (noite),Mecânica Industrial: 30 (noite),Segurança do trabalho: 30 (noite), Refrigeração e Climatização: 30 (noite).

 Maracanaú –Meio Ambiente: 40 vagas (noite),Informática: 30 vagas (tarde),Automação Industrial: 30 vagas (tarde);  Quixadá – Edificações: 30 vagas (tarde),Química: 30 vagas (tarde),Controle Ambiental: 30 vagas (tarde); Sobral – Agroindústria: 35 vagas (noite),Eletrotécnica: 35 vagas (noite,Fruticultura: 35 vagas (tarde),Mecânica: 35 vagas (noite,Meio Ambiente: 35 vagas (noite),Panificação: 35 vagas (noite); Tauá –Agronegócio: 35 vagas (tarde); Tianguá- Informática: 30 vagas (tarde); Ubajara- Alimentos: 70 vagas (manhã ou noite).

 

Monsenhor Gonçalo é Professor Emérito da UVA

Solenidade no Centro de Treinamento de Sobral (CETRESO). Foto - Hudson Costa

A Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) outorgou o Título de Professor Emérito ao monsenhor Gonçalo de Pinho Gomes em reconhecimento a seu relevante contributo como sacerdote, educador e, notadamente, como docente e diretor do Centro de Letras e Artes da UVA. A cerimônia ocorreu às 20h do dia 26 de fevereiro, no Centro de Treinamento de Sobral (CETRESO), com representação da comunidade acadêmica, religiosos, familiares e amigos do homenageado.

Após a execução do hino nacional brasileiro, o reitor da UVA, professor Antonio Colaço Martins, declarou aberta a sessão e convidou o secretário dos Órgãos Superiores da UVA, professor Manoel Valdeci de Vasconcelos, para a leitura da Resolução do Conselho Universitário (CONSUNI). O Título foi concedido por unanimidade do Conselho, no dia 15 de janeiro de 2013, no ensejo das comemorações do jubileu de ouro de ordenação sacerdotal do monsenhor Gonçalo de Pinho Gomes, vigário geral da Diocese de Sobral.

 Na etapa seguinte, o monsenhor Francisco de Assis Magalhães Rocha, membro do CONSUNI, proferiu saudação ao monsenhor Gonçalo de Pinho Gomes, destacando sua trajetória de vida e sua reconhecida contribuição nos campos da religião e da educação. Dando sequência à solenidade, o reitor Antonio Colaço Martins fez a entrega do diploma de Professor Emérito.

“Estou muito feliz e agradeço a todos que me honraram com esse título. Sinto-me lisonjeado”, declarou monsenhor Gonçalo de Pinho Gomes, que também falou do seu trabalho pastoral e do magistério, como pároco da Catedral de Sobral por 35 anos, professor durante 31 anos e seis meses no Colégio Estadual Dom José Tupinambá da Frota e atuação no ensino superior, na Faculdade de Filosofia e na UVA, por um período de 20 anos.

 No encerramento da sessão, o reitor Antonio Colaço Martins ressaltou a honra de a UVA ter o monsenhor Gonçalo de Pinho Gomes como Professor Emérito. “Para ensinar teve que aprender e para aprender deixou a família. Esse ato de outorga traduz justiça, gratidão e honra”, disse o Reitor.

Mesa

A mesa de honra foi composta pelo reitor da UVA, professor Antonio Colaço Martins; vice-reitora, professora Palmira Soares de Mesquita; monsenhor Gonçalo de Pinho Gomes; bispo da Diocese de Sobral, dom Odelir José Magri; monsenhor Francisco de Assis Magalhães Rocha; professor João Edson Andrade, representando o deputado estadual José Teodoro Soares e a Academia Sobralense de Estudos e Letras; professora Edna Lúcia de Carvalho Lima, representante do prefeito José Clodoveu de Arruda Coelho Neto.

Fonte: Assessoria de Comunicação e Marketing Institucional da UVA

Eleição em Meruoca ainda está indefinida

O juiz do TRE Luciano Lima . Foto - Tuno Vieira/DN

A população de Meruoca, na Zona Norte do Estado, ainda não sabe quando será realizada uma eleição suplementar para escolha do prefeito e do vice-prefeito do município. O candidato mais votado nas eleições do ano passado, João Coutinho Aguiar Neto, com 58,91% dos votos válidos, teve o registro da candidatura indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em situações dessa natureza, a legislação recomenda que o candidato não seja diplomado e o presidente da Câmara Municipal assuma o exercício do cargo.

O juiz eleitoral da 106ª Zona Eleitoral, Rafael Lopes do Amaral, assim procedeu, mas, ao apreciar uma ação cautelar inominada, interposta por Herik Zednik Rodrigues, que obteve a segunda colocação em votos, na semana passada determinou a diplomação da candidata. A diplomação, marcada para a última sexta-feira, não chegou a ocorrer em função de uma liminar do juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE) Francisco Luciano Lima Rodrigues, assegurando ao presidente da Câmara, vereador Carlos José Magalhães do Nascimento, o direito de permanecer no cargo.

 Liminar
Com data de 22 de fevereiro deste ano, a liminar, interposta em mandado de segurança pelo presidente da Câmara, foi publicada ontem do Diário Oficial Eleitoral do TRE. Na liminar, o juiz Luciano Lima concede prazo de dez dias para o juiz prestar informações e para Herik Zednik Rodrigues contestar, caso seja de seu interesse. Após essa fase, o processo é encaminhado à Procuradoria Regional Eleitoral para oferecer parecer e devolvê-lo ao relator para julgamento.

Como se tratam de procedimentos necessários ao deslinde da questão, a população permanece sem uma posição clara sobre a realização de um novo pleito para prefeito e em relação à data em que acontecerá. Na hipótese da realização de novo pleito para prefeito e vice-prefeito, o pleno do TRE terá que definir a data da eleição e aprovar resolução com as normas para esse pleito, inclusive com calendário de prazos a serem observados.

 Diplomação

 O juiz eleitoral de Meruoca, Rafael Lopes do Amaral, prestou informações ontem, por telefone, ao Diário do Nordeste sobre esse processo. Ele informou que a solicitação da segunda colocada na eleição, Herik Zednik, para ser empossada foi apresentado no dia seguinte ao pleito. O magistrado remeteu o pedido ao TRE e ao TSE, e as duas instâncias superiores despacharam no sentido de que a decisão fosse do juiz de primeira instância.

Ele esclareceu que, na véspera da diplomação, marcada para 19 de dezembro, recebeu recomendação da Corregedoria Regional Eleitoral para proceder em conformidade com a resolução 23.372 do TSE. Dessa forma, diplomou apenas os candidatos a vereador que foram eleitos. Como consequência, o vereador eleito presidente da Câmara assumiu a prefeitura.

Depois que transitou em julgado o pedido de registro do candidato mais votado, passou a avaliar a solicitação da segunda colocada e, pela interpretação que deu à legislação, o juiz entendeu que ela poderia ser diplomada, o que não chegou a acontecer porque a liminar do juiz Luciano Lima chegou poucos minutos antes da diplomação.

Sobre o mandado de segurança, informou que não foi interposto por candidato nem pela coligação majoritária cujo candidato a prefeito teve o registro indeferido, mas por Carlos José Magalhães do Nascimento, presidente da Câmara, que tem direito de assumir temporariamente. No entendimento do magistrado, a discussão não compete a Carlos José, porque ele não é detentor do mandato do prefeito. Ressaltou também que, no âmbito do município, a segunda eleição está sendo utilizada pelos partidários de João Coutinho como um reforço de marketing, e não de democracia. 

 Fonte: Diário do Nordeste, 27 Fevereiro 2013

fevereiro 2013
S T Q Q S S D
« jan   mar »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728