Archive for 5 de junho de 2013

Região do Cariri ganha Universidade Federal

Governador Cid Gomes participou da solenidade com a presidente Dilma. Foto - Divulgação

A presidenta Dilma Rousseff sancionou, nesta quarta-feira (5),  no Palácio do Planalto, as leis que criam as universidades federais do Cariri (UFCA), do Sul Sudeste do Pará (Unifesspa), do Oeste da Bahia (Ufob) e do Sul da Bahia (Ufesba). O governador Cid Gomes esteve presente à cerimônia, agradeceu a nova Universidade e fez um pedido.

Governador, senadores e deputados federais do Ceará com a presidente Dilma.

“O Ceará triplica a quantidade de oferta de ensino superior. Mas já que me pediram pra falar, e eu aprendi com meus colegas líderes políticos do Interior, a gente agradece e faz um pedido. O Ceará tem a Universidade Federal do Ceará (UFC) na Capital e a federal no Sul. O oeste, o noroeste do Estado, região da qual tenho origem, tem um sonho de algum dia, quem sabe no seu segundo mandato, ter uma universidade federal. E não será uma meta tão ousada, porque hoje lá já funciona um campus avançado da Universidade Federal do Ceará”, destacou.

A criação das universidades faz parte do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais Brasileiras (Reuni), pelo qual o governo federal tem adotado uma série de medidas que objetivam retomar o crescimento do ensino superior público, tendo como meta inicial a interiorização deste nível de ensino.

Entre 2003 e 2010, o programa foi responsável pela criação de 14 novas universidades federais e 126 novos campi ou unidades acadêmicas, chegando agora a 63 universidades e 321 campi em todo o país. A expansão aumentou também o número de municípios brasileiros atendidos por universidades federais, de 114 em 2003, para 272, em 2010, beneficiando a partir do início do funcionamento destas quatro universidades, mais 16 municípios brasileiros.

A Universidade Federal do Cariri será implantada a partir do desmembramento dos campi de Juazeiro do Norte, Barbalha e Crato da Universidade Federal do Ceará (UFC) e com a criação dos campi de Icó e Brejo Santo. Serão criados 27 cursos de graduação, tendo como meta atender a 6.490 estudantes. Serão contratados 197 professores e 530 técnicos administrativos.

No mesmo estado, a sede da Universidade Federal do Oeste da Bahia será em Barreiras, com unidades em Barra, Bom Jesus da Lapa, Santa Maria da Vitória e Luiz Eduardo Magalhães. Funcionará com 35 cursos de graduação, para os quais serão ofertadas 7.930 vagas. Serão contratados 357 professores e 408 servidores administrativos.

Fonte: Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado

Circuito de Quadrilhas Juninas Sesc Ativo

O Sesc garante animação em vários municípios do Ceará. Foto - Arquivo

De 8 de junho a 14 de julho, o Serviço Social do Comércio (Sesc), em parceria com a Federação dos Eventos Juninos e Culturais do Ceará (FEJUC), realiza a quarta edição do Circuito de Quadrilha Juninas Sesc Ativo, que reúne mais 180 grupos da capital e do interior, com animação em vários municípios do Ceará.

O objetivo é promover entretenimento, cultura, arte, lazer e integração entre as quadrilhas de todo o Estado, como também difundir, divulgar e manter vivas as tradicionais festas juninas, defendendo a cultura e a manutenção do folclore e as tradições nordestinas.

O Circuito acontece em 15 etapas, divididas por Macro Regiões do Estado, onde os três melhores grupos recebem prêmios. As quadrilhas campeãs de cada etapa participam da grande final, que acontece nos dias 13 e 14 de julho, na Colônia Ecológica Sesc Iparana. Os vencedores levam para casa medalha, troféu e premiação em dinheiro. Os quesitos individuais (noiva, noivo, marcador e rainha) também serão premiados com troféus em suas respectivas etapas.

Etapas do Circuito

8 e 9/6 – Vale do Jaguaribe – Sede Quixeré ; 11 e 12/6 -Vale do Cariri – Sede Campo Sales; 14/6-Zona Norte – Sede Itapajé; 15/6 – Região Metropolitana (Oeste) – Sede Pindoretama; 15 e 16/6-Litoral oeste – Sede Mundaú (Trairi); 18 a 23/6 – Fortaleza – Sede Beira Mar; 21 e 22/6- Região da Ibiapaba – Sede Ibiapin; 22/6- Extremo oeste – Sede Acara; 27 e 28/6 – Litoral Leste – Sede Aracati; 28/6- Sertão Central – Sede Quixeramobim; 28/6- Sertão dos Inhamuns – Sede Crateús; 30/6- Maciço do Baturité – Sede Aratuba; 5 e 6/7 – Região Metropolitana (Leste) – Sede São Gonçalo do Amarante; 6/7- Vale do Curu – Sede Tejuçuoca; 13 e 14/7- Final – Colônia Ecológica Sesc Iparana (Caucaia).

 

Hospital Universitário fará transplante de medula óssea

Hospital Universitário Walter Cantídio, da Universidade Federal do Ceará. Foto - Arquivo

Neste ano, o Serviço de Transplante de Medula Óssea (TMO) do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), integrante do Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Ceará (UFC), inicia a ampliação de leitos, recebe a instalação de ar filtrado e realizará em breve transplante alogênico de medula óssea, que ocorre quando o paciente recebe medula de um doador. Atualmente o HUWC faz transplante autólogo, em que o paciente recebe as células sadias da própria medula.

Conforme o Chefe do Serviço de Hematologia e Transplante de Medula Óssea do HUWC e do Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce-Sesa), Fernando Barroso, a previsão para a realização de transplante alogênico é até o final deste ano. Quando o HUWC for habilitado, o Ceará será o quarto estado do Nordeste a realizar transplante alogênico. Os outros são Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Norte. O Serviço de TMO dos HUs alcançará a população do Ceará, assim como estados do Norte-Nordeste. A iniciativa desafogará outras unidades e, no caso dos cearenses, diminuirá os custos de locomoção dos pacientes e seus familiares para outro estado.

Segundo o médico, a equipe iniciou em 2012 um curso multidisciplinar de transplante, em que todo o processo vem sendo discutido. “Terminamos recentemente o módulo de radioterapia com o médico Fernando Bastos e iniciaremos os de infecção com a supervisão do médico Jorge Luis”, detalha.

O transplante autólogo permite o transplante em pacientes com linfoma de Hodgkin, não Hodgkin e mielomas múltiplos. O recebimento de medula de outra pessoa, o chamado procedimento alogênico, pode ser realizado, por exemplo, em casos de leucemia. Fernando Barroso informa que o Registro Nacional de Doadores da Medula Óssea (Redome) registra hoje no Ceará mais de 100 mil possíveis doadores. “Hoje nós somos o quinto estado do País em registro de doadores de medula óssea”, afirma. Além disso, há também o banco de sangue de cordão umbilical e placentário que é outra possível fonte de doação.

Fonte: Serviço de Hematologia e Transplante de Medula Óssea do HUWC

junho 2013
S T Q Q S S D
« maio   jul »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930