Archive for 29 de janeiro de 2014

Fumacê faz controle da dengue em 43 bairros de Fortaleza

A operação teve início no dia 27 de janeiro. Foto - Divulgação

A Secretaria da Saúde do Estado está realizando desde terça-feira (27) trabalho especial de bloqueio da transmissão de dengue em 43 bairros das regionais I, III e IV de Fortaleza, com 10 carros fumacês. A pulverização espacial acontecerá em 5.514 quarteirões, com aplicação de 304,8 ml de inseticida por quarteirão para o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. São três ciclos de pulverização. O primeiro até este sábado, 1º de fevereiro, o segundo ciclo de 3 a 7 de fevereiro e, o terceiro, de 10 a 14. Os carros fumacês fazem a pulverização, diariamente, das 5 às 8h30min e das 17 às 20h30min. O trabalho especial de bloqueio foi solicitado pelo Centro de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza. Além da capital, a Sesa está também combatendo o mosquito em Tauá, na região dos Inhamuns, onde concluirá nesta quarta-feira, 29 de janeiro, o terceiro ciclo de pulverização.

O controle químico do mosquito é feito com inseticidas fornecidos exclusivamente pelo Ministério da Saúde e deve ser utilizado somente em situações de emergência e de forma racional e segura. O inseticida atinge o mosquito adulto, única forma de ter eficácia. A ação do produto só é efetiva quando o inseticida está em suspensão no ar e só mata o mosquito adulto. Com a ventilação a uma velocidade de 6 km/h, a ação do produto dura de 40 minutos a uma hora e meia.  Atendendo à solicitação dos municípios, o fumacê é utilizado para matar o mosquito na fase adulta e impedir que ele se reproduza e gere mais mosquitos e focos de infecção.

Mobilizar a população

O fumacê consiste na liberação via aérea de gases, que agem, por contato, atingindo os mosquitos adultos em voo. Por isso, as famílias devem deixar as janelas e portas abertas para que o fumacê entre na residência e consiga ser mais efetivo no combate ao mosquito. O fumacê é uma estratégia necessária, mas na prevenção e controle da dengue, porém nada é mais importante do que a mobilização permanente da população. As famílias devem evitar o surgimento das larvas do Aedes aegypti que estão em caixas d’água, potes, baldes, pneus, lajes. Os cuidados são simples e já velhos conhecidos da população mas que precisam virar hábitos. Não podem ser feitos nesta semana e na outra semana serem esquecidos. Todo mundo cuidando fica mais fácil prevenir e controlar a dengue no Ceará.

Como prevenir a dengue

– Mantenha a caixa d’água limpa e bem fechada.

– Faxina pelo menos uma vez por semana nos quintais, com eliminação de garrafas, depósitos que podem servir de criadouros para o mosquito.
– Os sacos com lixo devem estar sempre fechados.
– Nunca deixe pneus em locais descobertos que podem acumular água, inclusive de chuva.
– Jogar lixo nas ruas, praças e jardins, além de poluir a cidade, traz doenças, entre elas a dengue porque serve de criadouros para o Aedes aegypti.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Sesa

CNPq lança terceira edição das Pioneiras da Ciência

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) lançou, na quinta-feira (23), a terceira edição das Pioneiras da Ciência no Brasil, em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR). Foram selecionadas cientistas de diversas áreas do conhecimento que tiveram relevante atuação como pesquisadoras e contribuíram para a formação das suas áreas e desenvolvimento da ciência.

O objetivo é dar visibilidade às mulheres e suas contribuições para determinada área de conhecimento, tendo em vista que, muitas vezes, as participações femininas foram menos reconhecidas em função das relações de gênero. Esta iniciativa faz parte do Programa Mulher e Ciência, cujo objetivo é estimular a produção científica e a reflexão acerca das relações de gênero, mulheres e feminismos no país e promover a participação das mulheres no campo das ciências e carreiras acadêmicas.

Para a primeira edição das Pioneiras, o CNPq contou com a contribuição das pesquisadoras Hildete Pereira de Melo e Ligia Rodrigues que disponibilizaram os resultados de suas pesquisas sobre as pioneiras nas ciências que atuaram nas décadas de 30 e 40. Este trabalho foi publicado primeiramente pela SBPC, em 2006, com o título Pioneiras da Ciência no Brasil. Acesse a publicação.

Na segunda e terceira edições, o CNPq recebeu indicações de nomes e informações de vários pesquisadores e instituições. Na segunda, a seleção das contribuições ainda foi realizada em ordem cronológica, com a inserção de informações de pesquisadoras das décadas de 50 e 60. Também foram consultadas as informações do Setor de Documentação do CNPq e das associações científicas, particularmente, o arquivo da Academia Brasileira de Ciência (ABC) e da Academia Nacional de Medicina (ANM).

O CNPq e a SPM pretendem continuar com a homenagem às mulheres pioneiras, destacando aquelas que foram precursoras em cada área do conhecimento.

Acesse o Pioneiras da Ciência no Brasil – 3a. edição

Acesse a página do Programa Mulher e Ciência.

Fonte: Coordenação de Comunicação Social do CNPq

janeiro 2014
S T Q Q S S D
« dez   fev »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031