Archive for 18 de março de 2016

Açudes do Ceará apresentam volume de 12,49 %

Açude Acaraú Mirim, em Massapê. Foto - André Adeodato/Arquivo

Açude Acaraú Mirim, em Massapê. Foto – André Adeodato/Arquivo

Os 153 açudes monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), cuja capacidade total são 18,68 bilhões m³, apresentam volume de 2,33 bilhões m³ (12,49 %). Destaca-se o açude Quandú que iniciou sangria.

Foram registrados aportes em 57 açudes, destacando-se os açudes Angicos, Araras, Arneiroz II, Ayres de Sousa, Banabuiú, Figueiredo, Frios, Jaburu I, Orós, Pedras Brancas, Pentecoste e Taquara. Estes aportes permitiram que os açudes Jenipapeiro II e Vieirão deixassem de estar secos.

Atualmente, o volume de água das bacias está distribuído: Litoral (39,11% ), Alto Jaguaribe (29,60%), Coreaú (34,91%), Metropolitanas (9,63%), Serra da Ibiapaba (15,68%), Médio Jaguaribe (8,97%), Salgado (13,33%), Acaraú (2,87%), Banabuiú (2,87%), Sertões de Crateús (4,48%), Curu (19,94%) e Baixo Jaguaribe (0,23%).

Para mais informações, visite o site: http://www.hidro.ce.gov.br/

Fonte: Assessoria de Comunicação e Marketing

Banco de Leite HGF precisa de doações para Semana Santa

Equipe especializada está de plantão para realizar o atendimento. Foto - Divulgação

Equipe especializada está de plantão para realizar o atendimento. Foto – Divulgação

O Banco de Leite Humano do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) está precisando de doações para o feriado da Semana Santa. Atualmente, 27 recém-nascidos estão internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do hospital e precisam de, pelo menos, 18 litros por semana para manter o estoque.

Segundo a supervisora técnica do Banco de Leite Humano do HGF, Márcia Angélica, “nos meses de dezembro a março, há uma queda nas doações, em função de uma série de fatores e eventos, entre eles as confraternizações do fim de ano e carnaval. Com essa redução de doadoras, só são possíveis  6 litros de leite materno por semana”, afirma.

Quando se aproxima um feriado prolongado, a demanda cresce, haja vista que o estoque tem de estar abastecido para manter os bebês que se encontram nas unidades de terapia intensiva da neonatologia, como também aqueles que podem chegar a qualquer momento durante os dias do feriado.

Como ajudar

Mulheres  em boas condições de saúde e que estejam amamentando podem ser doadoras. Para uma comunicação direta e rápida com o banco de leite, é só ligar para o telefone (85) 3101-3335. Uma equipe especializada está de plantão para realizar o atendimento.

Fonte: Assessoria de Imprensa do HGF

O Santo de Santana – Artigo do Professor Teodoro

Opinião/Professor Teodoro – Deputado estadual

Padre João Batista Frota e o deputado Professor Teodoro. Foto - Arquivo

Padre João Batista Frota e o deputado Professor Teodoro. Foto – Arquivo

Conheço um santo, apaixonado pelo Cristo místico, que saiu em busca do Cristo histórico, seguindo suas pegadas na areia e no mundo espiritual. Meu amigo padre João Batista Frota, nascido em Santana, terra que leva o nome da mãe de Maria, a bem-aventurada. Batista é o nome daquele que veio anunciar e batizar o Salvador. Assim, sua estada na Terra Santa, na condição de padre operário, trabalhando no então incipiente estado de Israel, é um retorno ao rio Jordão, às origens bíblicas. Uma experiência que lhe serviu de norte para a vida sacerdotal, que agora completa 50 anos. E com muito gosto comemoramos.

Padre João Batista Frota. Foto - Arquivo/Hudson Costa

Padre João Batista Frota. Foto – Arquivo/Hudson Costa

Ao longo das cinco décadas, foi vigário, primeiro em sua terra natal, Santana do Acaraú. Depois, em Massapê. E, por fim, em Sobral. Aqui, as maiores ações de seu evangelismo. Seja na paróquia do Patrocínio, onde esteve por nove anos, seja na atual do Sumaré, num dos bairros mais vulneráveis da cidade, onde ele resolveu morar. Auxiliou em vários cargos na Diocese, como reitor e diretor espiritual do Seminário Diocesano e na coordenação de pastorais. Sua concepção de igreja, em toda sua trajetória, é alinhada à do papa Francisco: uma igreja pobre para os pobres.

Ainda se assemelha a outro santo de nossa contemporaneidade, o também cearense dom Hélder. Até pela frágil compleição, mas também pela visão de viver a radicalidade do Evangelho, como exortava o Pacto das Catacumbas. Desde ali, nos idos dos anos 1960, buscava-se um comprometimento com o paradigma da igreja primitiva, a convivência entre os irmãos. E não havia necessitados entre eles (At 4,34).

Essa preocupação com os pobres impulsionava suas ações, que se transformavam em benefícios, com impacto social. Sua iniciativa de mais visibilidade é o Projeto Cabra Nossa deCada Dia, pois recebeu prêmio nacional das mãos da própria presidente da República. Uma ideia de simples execução que incentiva a solidariedade e veio dar comida a quem tinha fome.

Acompanhamos e demos apoio ao projeto que consistia em doar uma cabra a uma família carente, que se comprometeria a devolver um filhote fêmea. A seu tempo, seria repassada a outra família, alimentando uma corrente produtiva, abrangendo cada vez mais pessoas. A cabra dá leite e procria, fornecendo carne, podendo gerar renda, com a ampliação do rebanho. O maior impacto do projeto foi a significativa diminuição da mortalidade infantil que era muito elevada na região.

Sou amigo de João Batista desde os tempos de seminário menor, quando estudamos juntos em Sobral, no início dos anos 1950. Uma década depois, estávamos compartilhando o curso de Teologia, na Universidade Gregoriana, em Roma, na nossa temporada italiana.

Nesse período, vivenciamos momentos históricos para a humanidade. Participamos das discussões que animaram o Concílio Vaticano II. Significou profundas mudanças na Igreja Católica, atualizando procedimentos e a relação da Igreja com todo o povo de Deus. Durante os estudos, empreendemos muitas viagens pela Europa, visitando os países da Primavera de Praga, o movimento de Maio de 68, em Paris – uma revolução de conceitos iniciada nas universidades francesas, que se espalhou pelo mundo ocidental.

Quando terminamos os estudos superiores como seminaristas, precisaríamos decidir sobre nosso futuro. Descobri que minha vocação era outra e decidi continuar os estudos na área de ciência social. Por seu lado, João Batista resolveu viajar para Israel, à procura de respostas para suas profundas indagações.

 

Quando volta à Roma, ele se ordena. Tive a honra de participar do evento, coordenando a missa e a festa de ordenação. A partir daí, cada um seguindo seu rumo, até o reencontro em Sobral, quando voltei à cidade para a reitoria da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Fico feliz em participar de seu ministério, sempre procurando me envolver, pois sei que suas ações se voltam com muita sabedoria em benefício do povo mais humilde, que ele tão bem conhece e é tão bem reconhecido por eles. Sinto muita alegria em ser seu amigo e vê-lo tão produtivo, a ponto de ainda ajudar a prefeitura na área de desenvolvimento social. É um luxo estar perto de um ser que se revela santo, por seguir as pegadas de Jesus, em sua plenitude. ´

João, tal Francisco, sempre esteve entre os pobres. Começou seu sacerdócio após aquela experiência em que viveu pobre entre os pobres de Israel, também agora está entre os pobres e para eles.

 

Papa anuncia data de canonização de Madre Teresa

Madre Teresa dedicou a vida em defesa dos pobres na India. Foto - Divulgaçãoi

Madre Teresa dedicou a vida em defesa dos pobres na India. Foto – Divulgação

Madre Teresa de Calcutá (1910 – 1997) dedicou à vida em defesa dos pobres da Índia. Sua dedicação abnegada e pacífica rendeu  o Nobel da Paz, em 1979. Ela foi beatificada seis anos após sua morte, pelo Papa João Paulo II.  Ao reconhecer mais um milagre da missionária, Papa Francisco aprovou sua canonização, em dezembro de 2015. A canonização da beata será em 4 de setembro de 2016, no âmbito do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia.

Na análise de padres e especialistas em fé e cultura, a canonização da religiosa reflete o exemplo de Igreja desejado pelo Papa Francisco. Em entrevista ao O Globo, o coordenador do Núcleo de Fé e Cultura da PUC-SP, Francisco Borba, aponta que a canonização vem “num momento em que o Papa Francisco volta a Igreja Católica para as classes desfavorecidas. Ela é apontada como exemplo num momento importante para o mundo. Representa uma Igreja que está comprometida com os mais pobres e com os que mais sofrem”, observou Borba.

Para um papa que defende os mais pobres, aponta uma agência de notícias portuguesa, canonizar Madre Teresa de Calcutá no ano do Jubileu da Misericórdia é um gesto de grande significado.

Conforme Borba, a missionária tornou-se o exemplo da pessoa que foi até as “periferias da existência”. “Aí, incluem a periferia material e também aqueles excluídos do ponto de vista afetivo, como drogados, abandonados, que estão em crise depressiva”, lembrou o pesquisador.

Com informações da Comunidade Shalom, O Globo e a Agência de Notícia Lusa.

Projeto Dos Livros ao Grafite atende crianças e adolescentes

Projeto está sendo desenvolvido em Viçosa do Ceará. Foto - Divulgação

Projeto está sendo desenvolvido em Viçosa do Ceará. Foto – Divulgação

O projeto “Dos Livros ao Grafite: Interpretações artísticas de autores regionais” busca promover o avanço da educação e transformar a vida de crianças e adolescentes do bairro Santa Cecília, em Viçosa do Ceará, que vivem em situação de risco e vulnerabilidade social. A iniciativa acontece através de ampliação da jornada escolar com ações consistentes que envolvem leitura e interpretação de textos associadas a conteúdos da cultura local. O projeto implantado em março de 2015  conta pela primeira vez com a parceria do Oi Futuro, instituto de responsabilidade social da Oi, através de doação feita ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, em ação consorciada com o Itaú Social.

O projeto é realizado no Centro de Integração da Cidadania (CIC) e beneficia cerca de 100 crianças e adolescentes da Escola de Ensino Fundamental José Fontenele Magalhães, e também oferece cursos profissionalizantes para os pais ou responsáveis. As oficinas de grafite, pintura em tela, colagens, contação de história e leitura baseadas em livros, histórias, fatos e brincadeiras da cultura regional acontecem semanalmente, no contraturno escolar.

Mudanças

O trabalho intergeracional e comunitário, isto é, que envolve filhos, pais, escola e comunidade, propicia melhoria no rendimento escolar e convivência sociofamiliar e, contribui para a redução das violações de direitos e principais vulnerabilidades vivenciadas por tais famílias.

“Dos Livros ao Grafite” ousa na proposta de continuidade com a pretensão de ampliar as formas de orientação, mobilização e participação da família e de outros atores da comunidade local para realização de ações de proteção e promoção dos direitos das crianças e adolescentes.

Fonte: Agência da Boa Notícia (ABN)

março 2016
S T Q Q S S D
« fev   abr »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031