Archive for 3 de julho de 2016

Concurso em Marco tem 477 vagas e salários de até R$ 8 mil

nscrições devem ser feitas pela internet até 22 de julho.

Inscrições devem ser feitas pela internet até 22 de julho. Foto- Arquivo

A Prefeitura de Marco, no interior do Ceará, divulgou edital de concurso público com 477 vagas e salários de até R$ 8 mil para jornada de trabalho de até 40 horas semanais. Conforme estabelecido em lei, 5% das vagas são destinadas a pessoas com deficiência.

Confira o edital completo

Os interessados devem fazer a matrícula de 4 a 22 de julho no site www.grserv.com.br, da GR Consultoria, empresa responsável pelo concurso. A inscrição custa de R$ 60 para os candidatos  de níveis fundamental e médio a R$ 120 para os candidatos de nível superior.

Os candidatos serão selecionados por meio de prova de títulos e uma prova escrita objetiva. Alguns cargos exigem também teste de aptidão física. O dia e o local das provas serão divulgados após a fase de inscrição.

Para os candidatos de nível fundamental, há vagas para Digitador, Motorista Categoria B, Motorista Categoria D, Agente de Correição de Animal, Auxiliar de Serviços Gerais, Calceteiro, Carpinteiro, Gari, Vigia, Operador de Máquinas Pesadas e Recepcionista.

Para o nível médio, há oportunidades em Agente Administrativo, Agente Social, Auxiliar de Laboratório, Controlador de Almoxarifado, Controlador da Frota de Veículos e de Combustíveis, Guarda Municipal de 1ª  e 2ª Categoria, Informática, Manutenção e Instalação de Computadores, Enfermagem, Radiologia, Secretário Escolar, Técnico nas áreas de Agropecuária, Recursos Financeiros e em Recursos Humanos, Auxiliar de Sala no Ensino Infantil e Cuidador de Alunos com Deficiência.

Já para os de nível superio há vagas em Advogado, Assessor Jurídico, Assistente Social, Cirurgião-dentista, Gineco-Obstetra, e Plantonista, Nutricionista, Procurador do Município, Psicólogo, Terapeuta Ocupacional, Professor, Controlador Interno, Educador Físico, Enfermeiro, Enfermeiro Auditor, Engenheiro Civil, Fisioterapeuta e Médico na especialidade de Endoscopista.

Fonte: G1 CE

Japão e Sobral- Artigo do Professor Teodoro

Opinião/Professor Teodoro – Deputado Estadual

Deputado Professor Teodoro (PSD). Foto - Arquivo

Deputado Professor Teodoro (PSD). Foto – Arquivo

Recentemente, refletimos sobre uma atitude a favor da educação que só seria possível numa cultura como a japonesa. Uma companhia ferroviária, num momento de reestruturação da rede, decidiu fechar uma estação deficitária em local remoto e pouco habitado. O curioso vem a seguir. Em homenagem a uma única aluna, que diariamente pegava o trem para ir à escola, a companhia manteve a estação em funcionamento, até que a adolescente terminasse seus estudos – o que se daria em menos de um ano.

Fui ler sobre a educação no Japão e me surpreendi com a grandiosidade dos números. Mais de 90% dos alunos que terminam o ensino médio continuam seus estudos num curso superior, que é pago. A rede pública abrange mais de 95% das escolas do país, chegando perto de 100% na educação primária.

A história de sua educação remonta à introdução da escrita chinesa, no século VI. Só a aristocracia detinha esse privilégio de acesso ao conhecimento. Estima-se que a partir do governo dos xoguns (1603-1868), a educação atingiu a população em geral. Começou com uma escola específica para samurais, mas havia escolas mistas, que ensinavam escrita, leitura e aritmética. Houve acesso à ciência ocidental. Terminado esse período, 40% da população japonesa já era alfabetizada.

Enquanto lia, fazia um paralelo com Sobral e o sucesso de seu modelo educacional. Embora do outro lado do mundo, em culturas tão díspares, a história da educação começa para um grupo seleto, uma elite de escol, e depois vem o desafio da massificação. Ofertar educação de qualidade para um pequeno grupo não custa muito, o difícil é promover a equidade: educação de máxima qualidade para todos.

Em Sobral, o grande impulso na educação se dá com a Igreja, assim como em diversas cidades mundo afora. A Princesa do Norte pariu um filho que ilustrou sua trajetória. Dom José Tupinambá da Frota lançou os pilares de uma educação de alta qualidade para a elite da região. Primeiro, no seminário, onde os futuros padres recebiam estímulo e condições de estudos. É reconhecida a plêiade de doutos clérigos formados por dom José.

E os que não seguiram o sacerdócio, também bebiam da fonte da melhor da educação, com ensino em tempo em integral e continuado. Dom José ainda fundou dois colégios, um para rapazes (Sobralense) e outro para moças (Santana) e também o Patronato. Todas as escolas voltadas para a elite sobralense.

Mais tarde, um aluno de um discípulo de Dom José, chega ao poder no governo de Sobral e promove uma revolução na educação pública. Cid Gomes estudou no Colégio Sobralense, onde contou com professores ainda do tempo de Dom José, como padre Osvaldo Chaves e padre José Linhares, entre outros.

Ouso dizer que Cid Gomes fez para a escola pública de Sobral o que dom José marcou no ensino privado. A modernidade e a tradição se unem no bispo e no prefeito, a quem a Sobral de hoje deve referência pelas obras na área educacional. Os frutos de agora devem louvor à semente que foi plantada pelas duas personalidades que marcaram a história da heráldica Sobral.