Archive for 9 de julho de 2016

Concurso UFC para professor em Fortaleza, Sobral e Russas

Reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza. Foto - Arquivo

Reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza. Foto – Arquivo

A Universidade Federal do Ceará recebe, a partir de 11 de julho, inscrições para editais que, juntos, ofertam seis vagas de professor adjunto-A, em regime de trabalho de 40 horas semanais e dedicação exclusiva.

Conforme o Edital nº 164/2016, há vagas nos setores de estudo “Língua Inglesa e Prática de Ensino”, “Língua Espanhola e Ensino” (com inscrições até 9 de agosto) e “Sistemas Elétricos de Potência” (com inscrições até 24 de agosto), todas em Fortaleza.

Já o Edital nº 165/2016, com inscrições até 9 de agosto, oferta outras três vagas, destinadas aos campi do Interior. Em Sobral, a oportunidade se destina ao setor de estudo “Saúde Coletiva / Evidência Científica”, para o Curso de Odontologia, enquanto em Russas há vagas nos setores de estudo “Projeto e Desenho de Máquina”, na área de Engenharia Mecânica e Engenharia e Ciência dos Materiais, e “Álgebra Linear e Cálculo”, na área de Matemática.

Para concorrer às vagas dos dois editais, é necessário apresentar título de doutor. Outros detalhes sobre os certames, como local e taxa de inscrição e remuneração, estão disponíveis nos editais, publicados no site da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas da UFC.

Fonte: Divisão de Concursos e Provimento – fone: 85 3366 7407 – Portal da UFC

Educação de Fortaleza – Artigo do Professor Teodoro

Opinião/Professor Teodoro – Deputado Estadual

Deputado Professor Teodoro Soares (PSD). Foto - Arquivo

Deputado Professor Teodoro Soares (PSD). Foto – Arquivo

O desempenho da educação do município de Fortaleza sempre deixou a desejar nos primeiro registros de avaliação do Programa de Aprendizagem na Idade Certa (Paic). O Spaece-Alfa acompanhou o desempenho de cada um dos municípios na tarefa de alfabetizar suas crianças na idade certa. O programa que fez estrondoso sucesso em Sobral estava sendo aplicado com êxito no nível estadual, mas pouco avançava na Capital.

À época, sob gestão de Luizianne Lins, havia um componente político que tirava a dinâmica do programa. Sem o envolvimento do gestor, o sucesso se faria esperar com mais demora. Fortaleza ficava nos últimos lugares do ranking educacional do Ceará. Os técnicos se defendiam, argumentando o tamanho da rede, com quase 400 escolas, bem maior que os demais municípios. Era também uma questão de crença.

Se o tamanho da rede era empecilho ao desenvolvimento do programa, ele estaria fadado a ser aplicado apenas em pequenos municípios, nem deveria ter sido levado ao âmbito federal, pelo então titular do MEC, Aloizio Mercadante. No Planalto, ele atende pela mesma sigla, mas virou um Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa.

Fortaleza deu resposta. E os números são inequívocos, pois nos últimos anos, houve acréscimo de mais de 600% no número de escolas com nível desejável de alfabetização na idade certa. Apenas 20 escolas figuram nessa condição no ano de 2012. Na última avaliação, já foram 146 instituições que apresentaram nível desejável. O gestor acreditou e virou o jogo no desempenho escolar de Fortaleza, que ainda pode fazer muito mais.

Pela primeira vez, tivemos notícia dessa festa da educação para celebrar o sucesso do Paic, também em Fortaleza. No fim de junho (dia 24), a Prefeitura de Fortaleza realizou festa para premiar as boas práticas educacionais. O município, que amargava o último lugar, em 2007, está agora na 157ª colocação do Spaece. A posição ainda é muito ruim, embora seja grande o avanço, pois já foi muito pior.
Além de acreditar no projeto do Paic, o prefeito Roberto Cláudio, que é ligado à educação, por laços profissionais e familiares, dedicou muito de sua energia à educação, que teve o deputado Ivo Gomes como seu primeiro secretário municipal da área.

Os números atestam esse esforço. Antes sem nenhuma escola em tempo integral, Fortaleza conta hoje com 17 delas, beneficiando 4.700 alunos. Uma das primeiras iniciativas foi a regularização do calendário escolar, completamente desorganizado pelas constantes greves. Chegou tal nível de descrédito no ensino municipal, que a rede privada passou a ter mais alunos do que a rede pública. Em 2013, registrou-se o êxodo de 60 mil alunos. Essa tendência tem se invertido.

Outro dado significativo, tanto pelo número como seu alcance social, foi na educação infantil. Dobrou o número de crianças atendidas nas creches e pré-escolas. A aprendizagem na idade certa será o grande legado de Cid Gomes, para Sobral, para o Ceará e, agora, Fortaleza. E ainda será para o Brasil.