Grupo Chocalho Comemora Dia do Escritor com homenagens

Mesa de homenageados pelo Grupo Chocalho. Fotos- Jean Cavalcante

Auriberto Cavalcante, do Grupo Chocalho, coordenou o evento. Fotos-Jean Cavalcante

O Grupo Chocalho não deixa passar em branco o Dia do Escritor, data instituída na década de 60 após a realização do I Festival do Escritor Brasileiro, iniciativa da União Brasileira de Escritores. Comandado pelo jornalista, poeta e escritor Auriberto Cavalcante, a Casa de José de Alencar sediou, em Fortaleza, o V Congresso escritores, poetas e leitores do Ceará.

Escritora Emmir Nogueira recebe  homenagem.

Escritora Emmir Nogueira recebe homenagem

A manhã de segunda-feira, dia 25, foi reservada para homenagens a escritores, instituições e iniciativas que visam a difusão da literatura cearense. Auriberto destacou a falta de incentivo do poder público à literatura, discorreu sobre a história do Grupo Chocalho que desde sua fundação, no início da década de oitenta, busca despertar a sociedade para a leitura e produção literária.

Escritor sobralense César Barreto foi homenageado no evento

Escritor sobralense César Barreto foi homenageado no Congresso

A escritora cearense Emmir Nogueira, cofundadora da Comunidade Católica Shalom, compôs a lista de homenageados, ao lado de figuras como Beatriz Alcântara; o ex-governador Gonzaga Mota; a  jornalista Adísia Sá, do Grupo O Povo de Comunicação; professora Yara Guerra, da Academia Cearense de Letras de Caucaia; escritores Pedro Lyra, Batista de Lima, César Barreto e Roberto Pontes. entre outros.

Literatura cearense

O Grupo Chocalho incentiva a leitura com a distribuição de livros, além de promover congressos e concursos de poesia. “Chegamos a colocar mais livros literários nas mãos das pessoas do que o Governo”, frisa Auriberto Cavalcante.

Iniciativa que mereceu o aplauso de todos foi a do ex-governador Gonzaga Mota que transformou parte de seu escritório em uma estante-livraria dedicada exclusivamente para autores cearenses.

Estes escritores não encontram espaço no mercado. Depois de procurar e não encontrar títulos de alguns nomes consagrados, Gonzaga Mota decidiu dar cabo à ideia. A estante-livraria ainda não está aberta ao público, mas já recebeu obras de quatrocentos autores cearenses para serem  comercializadas  ou expostas ao público.

Fonte:http://blog.opovo.com.br/ancoradouro

Leave a Reply

Tags