Archive for 28 de julho de 2016

Cadastro eleitoral será reaberto em novembro com biometria

Presidente do TRE em reunião com os gestores do tribunal para tratar da biometria no CE.Foto-Divulgação

Presidente do TRE em reunião para tratar da biometria no CE.Foto-Divulgação

O presidente do Tribunal Regional do Ceará, desembargador Abelardo Benevides Moraes, reuniu na quarta-feira, 27/7, em seu gabinete, os gestores da Administração do Tribunal para tratar da biometria no período pós-eleitoral. Na reunião, ficou decidido que o Cadastro Eleitoral será reaberto, em novembro, com o trabalho de identificação biométrica dos eleitores em todas as zonas do estado.

A meta do TRE é recadastrar cerca de 75% do eleitorado do Estado do Ceará até as eleições de 2018 e atingir 100% dos eleitores em 2020. Para isso, serão tomadas algumas medidas, como a abertura de novos postos de atendimento aos eleitores, na capital, a contratação de estagiários, através da renovação de convênio com o Governo do Estado, e a aquisição de novos kits biométricos junto ao TSE.

Nas eleições municipais deste ano, 34,78% do eleitorado cearense poderá votar com a identificação biométrica (16% na capital). Em 62 municípios, 100% dos eleitores serão identificados através da biometria para a votação.

Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social TRE-CE

Migração paraTV digital começa em Fortaleza e 14 municípios

Sinal analógico vai ser totalmente desligado em 26 de julho de 2017. Foto-Divulgação

Sinal analógico vai ser totalmente desligado em 26 de julho de 2017. Foto-Divulgação

Começou nesta semana o processo de migração do sinal analógico para digital de TV aberta em Fortaleza e outros 14 municípios do Ceará. No prazo de um ano, em 26 de julho de 2017, o sinal analógico de TV aberta será desligado na região e as transmissões dos canais serão feitas apenas pelo sinal digital, que proporciona imagem e som de melhor qualidade, livre de chiados, chuviscos e “fantasmas”.

O processo é conduzido pela Seja Digital, entidade responsável por operacionalizar a migração do sinal de TV aberta do analógico para o digital no Brasil. Criada por determinação da Anatel, a instituição vai informar a população sobre o que precisa ser feito para ter acesso à TV Digital.

Para isso, vai oferecer suporte didático, desenvolver campanhas de comunicação e mobilização social, bem como distribuir kits com antenas e conversores para as famílias cadastradas em programas sociais do Governo Federal.

“Este processo representa um grande avanço tecnológico, pois coloca o Brasil no mesmo patamar de transmissão televisiva de países como Estados Unidos e Reino Unido, que já realizaram o desligamento do sinal analógico”, afirma Antonio Carlos Martelleto, Diretor Geral da Seja Digital.

Segundo ele, a prioridade da entidade é promover ações didáticas voltadas, principalmente, para o esclarecimento da população sobre a transição, assegurando que todos estejam preparados para o novo momento da TV no Brasil. “Nosso principal compromisso com a digitalização da TV no Brasil é preparar a população para que não fique sem acesso ao sinal dos canais de TV aberta”, explica.

Transição

Durante o período de transição, os telespectadores de Fortaleza e região que assistem os canais de TV aberta passarão a ver durante a programação um sinal com a letra “A”. Este símbolo indica que o sinal da TV é analógico.

Com a proximidade do prazo para a migração do sinal, a letra “A” aparecerá com maior frequência. Dois meses antes do prazo, a indicação estará fixa na tela. No dia 26 de julho de 2017, o sinal analógico será desligado e apenas o sinal digital estará disponível.

Além de Fortaleza, o sinal analógico será desligado em outros 14 municípios do estado: Aquiraz, Cascavel, Caucaia, Eusébio, Horizonte, Itaitinga, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Maranguape, Pacajus, Pacatuba, Pindoretama, São Gonçalo do Amarante e Sobral.

Fonte: G1 CE

Inscrições para Congresso de História da Educação do Ceará

Evento

Evento acontecerá em Fortaleza no período de 24 a 27 setembro. Foto-Divulgação

Seguem abertas, até 10 de agosto, as inscrições para o XV Congresso de História da Educação do Ceará, que ocorrerá de 24 a 27 de setembro na Casa de José de Alencar, equipamento cultural da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da UFC, o evento, neste ano, traz como tema “Histórias das ideias pedagógicas e das Ciências: uma circulação de longa duração por continentes e oceanos”.

As inscrições devem ser realizadas pelo site do evento (http://bit.ly/2aG2SgC), que traz informações sobre os eixos temáticos e as normas para a apresentação de trabalhos. A conferência de abertura, intitulada “Histórias das Ciências e Ideias Pedagógicas”, contará com a participação do professor Jorge Ramos do Ó, do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, e da professora Carlota Boto, da Universidade de São Paulo (USP).

O XV Congresso de História da Educação do Ceará tem por objetivo principal apresentar a produção acadêmica de pesquisadores experientes e em formação, sob diferentes recortes e perspectivas, que incidam sobre a temática geral proposta. O evento conta com o apoio da Sociedade Brasileira de História da Educação (SBHE), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Cape)s, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), Universidade Estadual do Ceará (Uece), Fundação Cearense de Pesquisa e Cultura (FCPC-UFC) e Edições UFC.

Mais informações: chec@multimeios.ufc.br e xvche@gmail.com

Com informações da Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional da UFC / Portal da Funcap

Água dos açudes do CE está com qualidade comprometida

A pesquisa leva em conta a deterioração da qualidade da água. Foto-Arquivo

A pesquisa leva em conta a deterioração da qualidade da água. Foto- Arquivo

A água armazenada em todos os açudes do Ceará está com a qualidade comprometida em algum nível. Segundo o último relatório de monitoramento da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), a situação piorou em relação ao estudo anterior, feito no ano passado. Dos 111 reservatórios estudados, 13 têm implicações na qualidade, mas, na maioria dos casos, ficam em níveis aceitáveis. Outros 98 têm água com substâncias indesejáveis ou com comprometimento acentuado. Quarenta e dois açudes não puderam ser avaliados por impossibilidade técnica ou por estarem vazios.

AÇUDES CONTAMINADOS 1-vertA análise foi divulgada este mês e é referente a coletas realizadas em fevereiro deste ano, período de início da quadra chuvosa. Do total, 88,3% das amostras tinham algum grau de contaminação além do aceitável. Em novembro de 2015, 82,7% das águas apresentaram algum material indesejável. No relatório de 2015, o açude de Tatajuba, no município de Icó, era o único com águas consideradas limpas. Na nova análise, não há nenhum açude nessa categoria.

A pesquisa leva em conta a deterioração da qualidade da água, que pode ficar com aspecto esverdeado e mal cheiroso, causar a morte de peixes e favorecer o surgimento de plantas aquáticas. Além disso, a água nessas condições demanda mais tratamento, o que aumenta o custo do processo.

Segundo o relatório, os principais geradores da contaminação para os reservatórios são descargas de esgotos domésticos e industriais, afluência de partículas dos solos, criação de gado no entorno dos açudes e piscicultura.

Níveis de poluição

Na análise, a maioria dos açudes apresentaram grau intermediário ou alto de poluição. Há 36 açudes no pior estágio de comprometimento da qualidade. Eles apresentam elevada concentração de substâncias indesejáveis e estão sujeitos a grande reprodução de algas e aumento da mortandade de peixes.
Outros 62 açudes estão no segundo pior estágio de degradação da qualidade. Estão entre os açudes mais usados e, por isso, os mais afetados pela ação humana. Eles representam a maioria dos reservatórios analisados. Suas águas perderam parte das características ideais, como a transparência. Os açudes mais importantes do Ceará estão nessa categoria. É o caso dos três maiores: Castanhão, Orós e Banabuiú.

Com informações Jornal O Povo -28.7.2016

Tags