Archive for 3 de novembro de 2019

Prêmio de Literatura da UNIFOR abre inscrições

Prêmio de Literatura objetiva incentivar a criação literária e a sua divulgação. Foto: Ares Soares.

O Prêmio de Literatura da Universidade de Fortaleza objetiva incentivar a criação literária e a sua divulgação como forma de promoção do hábito de leitura, além de divulgar novos escritores por meio da publicação de suas obras. Nesta edição, o gênero literário escolhido é Conto.

Os candidatos, podem participar do concurso nas categorias de Obra Inédita e Trabalhos Inéditos. O livro se inclui na categoria Obra Inédita, se possuir, no mínimo, cem páginas de contos que não tenham sido publicados em nenhum órgão de comunicação, incluindo redes sociais.

Já a categoria Trabalhos Inéditos, exige que o conto tenha no máximo cinco páginas, e também não tenha sido publicado em nenhum órgão de comunicação, inclusive blogs e redes sociais. Para mais informações, o interessado deve conferir o edital.

Os trabalhos e obras serão avaliados por professores de literatura em língua portuguesa. A divulgação do resultado e entrega dos prêmios serão realizados em 23 de março de 2020, em solenidade no auditório da biblioteca.

Criado inicialmente pelo professor Batista de Lima, o projeto é oriundo da necessidade observada em relação ao estímulo literário na universidade. Batista explica que o concurso aborda três gêneros: conto, crônica e poemas, alternadamente em cada edição.

Ainda segundo o professor, a relevância em explorar o Conto nesta edição é impulsionada diretamente pela rapidez cotidiana presente no mundo contemporâneo. “O conto consiste em uma narrativa curta, o leitor consegue ler de uma só vez. A narrativa satisfaz e distrai aquele que a lê, pois a história nos reconforta e nos distancia da realidade para entrarmos em seu mundo. Este é o milagre da narrativa”, enfatiza Lima.

Inscrições

O candidato, pode inscrever até três obras diferentes e inéditas. As inscrições acontecem de 17 de outubro a 16 de dezembro de 2019, das 8h às 18h, na Vice-Reitoria de Extensão e Comunidade Universitária, localizada no prédio da reitoria da Universidade de Fortaleza. Também podem ser realizadas através do email premiodeliteratura@unifor.br, até a data limite de inscrição.

Premiação

A Comissão Julgadora selecionará uma obra inédita, que receberá uma viagem (passagens aéreas) a São Paulo, para visitar a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, além da publicação da obra com tiragem de 400 exemplares.

Também serão selecionados 20 trabalhos inéditos para a premiação, do 1º ao 20º lugar: o autor, na categoria trabalho inédito, classificado em 1º lugar, receberá o prêmio de uma viagem (passagens aéreas) ao Rio de Janeiro para visitar a Biblioteca Nacional.

Já os autores na categoria trabalho inédito, classificados do 1º ao 20º lugar, terão seus trabalhos reunidos e publicados em forma de livro intitulado “Coletânea”, com tiragem de 20 exemplares para cada candidato.

Com informações do site https://www.unifor.br/

Papel da mulher e feminicídio foram temas de debate

Antônia Araújo, da Defensoria Pública do Ceará, ministra palestra em Sobral. Foto-Divulgação

No último dia 23 de outubro, o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Sobral realizou seu primeiro seminário com o objetivo de discutir propostas que ajudem a enfrentar as violências de que são vítimas as mulheres no município. Durante o evento, 68 pessoas de diversas instituições debateram sobre o enfrentamento dessa questão. As proposições foram compatibilizadas em um documento que será encaminhado ao poder público. “Nós iremos juntar as propostas apresentadas durante as discussões e enviar para o prefeito, para a vice-prefeita e para a Câmara dos Vereadores para ver o que o município pode oferecer para melhorarmos o atendimento que fazemos hoje”, explica a presidente do Conselho, Teresa Cristina Mendes Carneiro.

Para a responsável pela Ouvidoria Geral Externa da Defensoria Pública do Ceará, Antônia Araújo, eventos como o seminário são essenciais tanto do ponto de vista educativo quanto para o fortalecimento e oxigenação do Conselho. “Nesses encontros a gente vai aprendendo umas com as outras, bebendo nas experiências que são colocadas, vai formando essa rede de conhecimentos de como atuar.” Antônia ministrou palestra sobre a mulher na sociedade em que enfatizou o apagamento da atuação das mulheres pela narrativa dominante. “Apesar das dificuldades, as mulheres trabalham e constroem a história do país todos os dias”.

O feminicídio foi o tema abordado pela palestra da representante da Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos do Ceará, Jaqueline Pinheiro. O crime consiste no assassinato de mulheres pelo fato de serem mulheres e geralmente acontece com detalhes de crueldade. Jaqueline afirmou que o Brasil é o quinto pais do mundo onde o feminicídio é mais cometido e o 4ª na América Latina. O Ceará é o segundo estado do país, em termos proporcionais, em números de feminicídio, perdendo apenas para São Paulo.  “A morte de uma mulher é um recado para todas as mulheres. E diz: se vocês não se ‘comportarem’ isso pode acontecer com vocês”, acredita a palestrante.

Entre as ações propostas pelos participantes do Seminário, estão a implantação de um juizado de violência doméstica e familiar contra a mulher; a capacitação dos profissionais de saúde e educação do município sobre os direitos das mulheres, além da realização de campanhas educativas sobre o tema.

Conselho da Mulher

O Conselho dos Direitos da Mulher foi criado em Sobral pela Lei Nº 301 de 30 de maio de 2001 e hoje é vinculado à vice-prefeitura do município.  É composto por dez conselheiras, cinco indicadas pela sociedade civil e cinco pelo Poder Executivo Municipal. O Conselho é uma entidade que se presta ao controle das políticas públicas direcionadas às mulheres, produzindo uma interseção entre elas e garantindo o atendimento para aquelas mulheres que sofrem alguma violência.

Adriana Brandão –  Jornalista

Ceará tem 61 açudes com menos de 10% da capacidade

Açude Banabuiú está com 6,75% da sua capacidade (Foto: AURELIO ALVES)
Ceará Ceará tem 61 açudes com menos de 10% da capacidade. A informação é da resenha diária publicada pela Cogerh em 25 de outubro. (Foto: Reprodução/ Portal Hidrológico do Ceará)

Entre os 155 açudes cearenses monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), 81 estão com volume abaixo de 30% de seu total, sendo 61 abaixo dos 10%. Entre esses, 23 reservatórios encontram-se no volume morto e outros 11 estão secos. Apenas três açudes apresentam volume acima de 90%: Germinal, Itapajé e Jenipapo. As informações são da resenha diária de monitoramento publicada no último dia 25.

Ao mesmo tempo, de 1º de janeiro a 25 de outubro, foi registrado aporte de água em 147 açudes do Estado. Neste período, houve um aumento de 934,3 bilhões de litros no volume de água armazenado. Considerando a estimativa do volume evaporado e o volume liberado, a Cogerh afirma que houve um aporte de 2,8 trilhões de litros. Assim, os reservatórios Estado guardam atualmente 3,166 trilhões de litros, o que equivale a 17% da sua capacidade total.

O Castanhão, maior açude de usos múltiplos da América Latina, tem hoje 3,83% da sua capacidade. Este é o menor volume desde fevereiro deste ano, quando – antes da quadra chuvosa – o reservatório atingiu 3,46% do seu total. Em outubro de 2018, o reservatório tinha 6,22% de seu volume. Naquele ano, o açude atingiu sua menor reserva: 2,08%.

Em seu máximo, a barragem pode armazenar 6,7 bilhões de litros de água. O maior nível alcançado pelo Castanhão (próximo dos 98%) foi em 2009, desde então vem em crescente queda. As limitações do açude ameaçam o abastecimento nos municípios de Tabuleiro do Norte, São João do Jaguaribe, Limoeiro do Norte, Jaguaribara e Russas.

Por MARCELA TOSI/ESPECIAL PARA O POVO00:00 | 28/10/2019

novembro 2019
S T Q Q S S D
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930