Archive for 2 de agosto de 2020

Definida alocação do Acaraú Mirim até janeiro de 2021

Definida liberação de 200 litros d’água por segundo, podendo atingir até 250 litros.Foto-Divulgação

Foi realizada, no dia 09 de julho, a reunião de alocação negociada do açude Acaraú Mirim, no município de Massapê – CE. O encontro virtual contou com a presença de representantes da Comissão Gestora do açude e da equipe técnica da gerência regional da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos – Cogerh em Sobral, secretaria executiva do Comitê da Bacia Hidrográfica (CBH) do Acaraú. 

Com base nos dados técnicos e na deliberação da comissão gestora, foi definido que será efetuado já de forma direta a liberação de 200 litros d’água por segundo, podendo atingir o patamar de até 250 litros. A alocação terá validade até 31 de janeiro de 2021.

Seguindo as recomendações dos órgãos de saúde pública e o decreto de isolamento social, o evento se deu de forma virtual. José Maria Gomes, presidente do CBH Acaraú, ressalta a contribuição da Cogerh e o papel da Comissão Gestora do açude, que “de forma democrática e participativa vem gerenciando uso racional deste importante corpo hídrico para toda população de Massapê; usuários, pequenos produtores rurais, irrigantes, pescadores e sociedade civil organizada”.

Na ocasião, Hiago Gomes da gerência regional da Cogerh apresentou a atual situação hídrica do açude, que se encontra com 100% do volume preenchido, e relatou a instalação de uma placa educativa demandada pela Comissão Gestora. A placa reforça a proibição de lavagem de roupas e veículos dentro e nas imediações próximas ao Acaraú Mirim, medida que visa assegurar a oferta de água de qualidade para todos que são abastecidos pelo reservatório.

A Comissão Gestora, juntamente com Presidência do CBH Acaraú, fará ofício ao município de Massapê, solicitando a limpeza/roço do açude, o tratamento de formigueiro na parede do reservatório, e o retorno do uso de tambores para coleta de lixo no pequeno balneário que há no entorno do açude, como mecanismo de proteção e redução de poluição ambiental no reservatório.

Com informações do Portal da Cogerh

Bondinho de Ubajara tem obras paralisadas mais uma vez

Em maio de 2015,bondinho foi desativado paro de obras de recuperação e modernização.Foto-Cid Barbosa

 A previsão de que o Bondinho de Ubajara, localizado na zona Norte do Estado, na Chapada da Ibiapaba, iria ser inaugurado neste semestre foi adiado mais uma vez. A empresa responsável pelos serviços anunciou a desistência dos trabalhos. A informação é da Secretaria do Turismo do Ceará (Setur).

O teleférico de Ubajara foi paralisado em maio de 2015, depois que técnicos constataram a necessidade de reparo e modernização do equipamento. Inicialmente, estimou-se que o bondinho voltaria a funcionar a partir de dezembro de 2018, mas até agora o prazo de conclusão não se concretizou.

Sem um dos principais atrativos turísticos, o fluxo de visitantes reduziu pelo menos 30%, segundo estimativa do setor turístico local. Mediante ao abandono da obra, a Setur anunciou para o próximo dia 3 de setembro a realização de um novo certame licitatório, no valor de R$ 1,8 milhão.

O anúncio de desistência da empresa para dar continuidade à obra ocorreu em junho passado, em meio às dificuldades causadas pela pandemia do novo coronavírus.

A pasta do turismo informou que faltam somente 8% para a conclusão dos serviços de recuperação do equipamento. Nos últimos três anos, a secretaria obteve licença do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), instituição ambiental do governo federal que administra o Parque Nacional de Ubajara, e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Para o secretário Arialdo Pinho, titular da Setur, o atraso na obra de recuperação e modernização das estações de embarque e desembarque do bondinho decorreu da demora na concessão de licenças ambientais. A Setur não anunciou um prazo para o fim dos trabalhos e início de operação do bondinho.   

Reforma

O serviço de reforma incluiu a troca de cabos de aço de sustentação do bondinho, que tem descida de 550 metros, entre duas estações, na parte superior da encosta e na inferior, próxima à entrada da gruta. O bondinho não é o único acesso à gruta e a cachoeiras, que pode ser feito por trilhas, mas exige disposição dos turistas, que têm a oportunidade de conferir belos lugares.

A reforma e modernização do bondinho tem projeto e recursos do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) no Polo Ibiapaba, com investimento total de R$ 9,8 milhões.

Os serviços incluem renovação das cabines; recuperação da estrutura metálica da estação superior; modernização das estruturas e equipamentos eletrônicos e mecânicos; recuperação da coberta da estação; construção de banheiros; e obra estruturante e de urbanização com construção de mirante com rampas de acesso e escadaria.

A paralisação da obra traz impacto negativo para o setor turístico regional e frustra mais uma vez expectativas locais de empresários, artesãos e de toda a cadeia econômica que se relaciona com os dois equipamentos públicos.

O secretário de Turismo de Ubajara, Gláuber Lira, lembrou em janeiro passado que o prazo anunciado de conclusão da obra para o mês seguinte, fevereiro, foi recebido pelo setor turístico com desconfiança. “É mais um prazo”. Estava certo. A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Ubajara também já se posicionou lamentando os sucessivos anúncios de conclusão do serviço que não se concretizam.

O SVM solicitou esclarecimentos à Superintendência de Obras Públicas (SOP), mas até a publicação desta matéria não houve retorno.

Diário do Nordeste – Escrito por Honório Barbosaregiao@svm.com.br 15:43 / 02 de Agosto de 2020. 

agosto 2020
S T Q Q S S D
« jul   set »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31