Maestro cearense na Academia Brasileira de Música

O compositor cearense Liduino Pitombeira ocupará a cadeira de número 28 na Academia Brasileira de Música (ABM) (Foto: Mauro Angeli/Divulgação)
Compositor Liduino Pitombeira ocupará a cadeira 28. Foto:Mauro Angeli/Divulgação

A Academia Brasileira de Música (ABM) elegeu um novo representante para a cadeira de número 28, cujo patrono é o pianista Ernesto Nazareth: o compositor cearense Liduino Pitombeira. Ele ocupará a cadeira que estava vaga desde 2019, ano em que o seu último ocupante, o musicólogo gaúcho Flávio Silva, faleceu. O anúncio da escolha foi feito no último dia 22.

Natural da cidade de Russas, Liduino é atualmente professor de Composição da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e um dos nomes mais relevantes da música contemporânea. Em seu currículo, apresenta marcas importantes, como sua atuação como doutor em Composição e Teoria e como mestre em Composição pela Louisiana State University, nos Estados Unidos.

Seu interesse pela música começou quando tinha 11 anos de idade, em 1974, a partir do seu contato com o violão. Liduino integrou o grupo de música da igreja matriz sob a coordenação do pianista e organista Cônego Pedro de Alcântara Araújo. Por volta de 1982, iniciou seus estudos de harmonia com Vanda Ribeiro Costa, que o levaram a um maior aprofundamento na área da composição. Em 1986, atuou na fundação do grupo de música de câmara do Ceará Syntagma. O músico também chegou a desempenhar a função de consultor de música da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult).

As obras desenvolvidas por Pitombeira já foram executadas tanto no Brasil quanto no exterior. Como exemplos, as iniciativas do Quinteto de Sopros da Filarmônica de Berlim, na Alemanha, da Louisiana Sinfonietta e do New York University New Music Trio, nos Estados Unidos, e a Orquestra Filarmônica de Poznan, na Polônia.

Além disso, o cearense conquistou importantes premiações de composição no Brasil, como o primeiro prêmio no Concurso de Composição “Sinfonia dos 500 Anos” e o primeiro no I Concurso Nacional Camargo Guarnieri, com a obra “Suite Guarnieri”. Nos Estados Unidos, recebeu, em 2004, o prêmio de compositor do ano no “2003 MTNA-Shepherd Distinguished Composer of the Year” por seu trabalho “Brazilian Landscapes No.1”.

O POVO online – Por MIGUEL ARAUJO18:49 | 07/01/2021

Deixe uma resposta

janeiro 2021
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Comentários
Arquivos