Museu de Paleontologia recebe fóssil de pterossauro

Holótipo da espécie Caiuajara dobruskii deve ser exposto à população(foto: REPRODUÇÃO/ URCA)
Holótipo da espécie Caiuajara dobruskii deve ser exposto à população(foto: REPRODUÇÃO/ URCA)

OMuseu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens, da Universidade Regional do Cariri (Urca), recebeu o fóssil de um pterossauro da espécie Caiuajara dobruskii, que foi coletado em 2014 no Paraná. A doação foi feita nesta semana pelo Centro Paleontológico da Universidade do Contestado (MTV/Cenpaleo) e deve ampliar a coleção permanente do equipamento cearense. Material doado será exposto ao público.

Segundo informações da Urca, o fóssil foi encontrado no município de Cruzeiro do Oeste (PR), em um local conhecido como “Cemitério dos Pterossauros”. A espécie pertence à família Tapejaridae, que tem representantes fósseis na Bacia do Araripe, situada na Região do Cariri cearense. Quem viabilizou a doação foi o coordenador do Cenpaleo, o professor Luiz Carlos Weinschultz.PUBLICIDADE

Em entrevista ao repórter Farias Júnior, da Rádio CBN Cariri, nesta quarta-feira, 22, o diretor do museu da Urca, Alysson Pinheiro, falou sobre a doação. Conforme o gestor, a ação foi uma parceria entre o equipamento cearense e o sulista, na qual ambos devem trocar materiais de seus acervos.

“É muito importante essa troca de material entre os museus para que a gente consiga ampliar nossos acervos, divulgar nossas instituições e também ter material de referência para que a gente possa usar nas comparações, para que a gente faça nossos trabalhos”, destacou o representante. 

Acervo mais completo

Segundo Alysson, o museu da Urca não tinha ainda essa espécie de dinossauro. Com a doação, o material deve se somar aos demais e tornar o acervo “mais completo”, sendo em breve exposto ao público. “A gente não tem esse pterossauro especificadamente na nossa região, essa espécie ou esse gênero, mas a gente tem outros próximos a ele, que são os encontrados na bacia do Araripe”, informou.

O material é datado de 80 milhões de anos, e o local onde foi encontrado é conhecido por agrupar muitos fósseis de pterossauros. “Esse agregado podia ser uma reunião para reprodução. Por algum motivo eles se juntaram naquela época, naquele local, e algo aconteceu para que todos morressem ao mesmo tempo e fossem fossilizados”, destacou.

O POVO online – 18:46 | Set. 22, 2021 Autor Gabriela Almeida Tipo Notícia

Deixe uma resposta

outubro 2021
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Comentários
Arquivos